A grande questão


A permanência de Michel Temer no poder tem um preço. Desgastado, impopular, diante de uma crise que persiste, ele fica e deseja ficar. Por que? O que compensa tanto a permanência no poder? Talvez esta seja "a questão".
O destaque dos noticiários de hoje são as contas públicas que não fecham e os novos gastos programados pelo governo. Sem conseguir estabelecer a meta fiscal, o governo Temer navega desordenado na busca desesperada de manter-se.
Temer é um mandante sem lógica, de um governo sem destino. Há única função é manter-se a qualquer preço. E quanto mais caro o valor da manutenção do atual presidente, a conta para o futuro cresce.
Com a proximidade das eleições do ano que vem, com a reforma política, se é que se pode chamar assim, e a crise econômica, o país vive a incerteza. Nada demonstra a possibilidade de estabilidade em curto prazo. Sempre é bom lembrar que quanto mais instabilidade mais crise.
Gilson Fala sobre o desgoverno de Temer. Um impopular que permanece no poder (clique aqui).
O presidente, com tanta impopularidade, não será cabo eleitoral de nenhum candidato nas eleições de outubro. Sua imagem desgastada, seus atos de incerteza, ele será o saco de pancadas nos palanques dos presidenciáveis. Por isso, mesmo os aliados de hoje não vão querer aparecer na foto, ao lado de Temer, em outubro do ano que vem.
Fico tentando imaginar qual será o candidato que receberá o discurso de apoio do atual presidente. Pois se tem algo que o atual presidente sabe, é que é indesejado, que está desgastado, que está exposto de forma negativa a todo o país. Diante de tudo isso, por que Temer luta para manter-se? A resposta objetiva é obscura, mas claramente o poder compensa. E pelo jeito, compensa muito.
Gilson Aguiar comenta as incertezas e desgovernos de Michel Temer

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Formação do Estado Nacional Moderno

Um pouco de teoria do Estado, Política e Economia

O poder no Brasil